São João Prev

Notícia

São João Prev suspende atendimento presencial para evitar riscos do COVID-19
São João Prev suspende atendimento presencial para evitar riscos do COVID-19

Para oferecer proteção a todos, por ora, este será apenas por telefone e e-mail, mas equipe segue trabalhando

A partir desta segunda-feira, 23 de março, o São João Prev estará fechado para o público, mas passará a atender seus servidores – aposentados ou não- em um novo formato: pelos telefones (19)3633-6268 e (19) 3631-5546 ou e-mails instituto1@saojoaoprev.sp.gov.br e instituto3@saojoaoprev.sp.gov.br .

Tal medida se deve aos riscos que todos – tanto os assistidos pelo Instituto de Previdência como sua equipe-- estão sujeitos, diante da pandemia do coronavírus (COVID-19), até mesmo porque o país vive a chamada ‘quarentena’, com a recomendação expressa ‘Não saia de casa!’

Apesar das portas fechadas, o São João Prev continua trabalhando normalmente no prédio da rua Senador Saraiva, nº 136, e no horário habitual – das 8h30 às 10h30 e das 13h às 16h; apenas a forma do atendimento é que será momentaneamente diferente.

Caso algum servidor precise solucionar dúvidas, inclusive no tocante a aposentadorias, pensões, carta margem e outros assuntos, orienta-se que NÃO SE DIRIJAM à sede do São João Prev, mas, dentro do horário mencionado, telefonem ou enviem e-mails, pois serão atendidos logo que possível.

Esta suspensão no atendimento presencial tem por intuito resguardar a saúde de todos, em especial a dos servidores aposentados, que quase sempre se enquadram na faixa etária dos idosos, considerada ‘grupo de risco’, mais vulnerável ao COVID-19.

O São João Prev seguirá com este formato de atendimento ao público (não presencial) até o dia 03 de abril, podendo ser prorrogado conforme recomendação das autoridades públicas.

A propósito disso, o Decreto Municipal n. 6.389 de 17/03/2020, declarou estado de emergência na saúde pública em São João da Boa Vista e, assim sendo, tais medidas visam respeitar, principalmente, as seguintes disposições do Decreto:

 “Art. 8º - Sem prejuízo das medidas já elencadas, todas as unidades da Administração Direta e Autarquias deverão adotar as seguintes providências:

I – adiar as reuniões, sessões e audiências que possam ser postergadas, ou realizá-las, caso possível, por meio remoto;

II – fixação, pelo período de emergência, de condições mais restritas de acesso aos prédios municipais, observadas as peculiaridades dos serviços prestados, limitando o ingresso às pessoas indispensáveis à execução e fruição dos serviços, e pelo tempo estritamente necessário;

III – disponibilizar canais telefônicos ou eletrônicos de acesso aos interessados, como alternativa para evitar ou reduzir a necessidade de comparecimento pessoal nas unidades de atendimento.”

Convém frisar que, até o dia 03 de abril, o São João Prev está fechado para o publico, mas os serviços continuam sendo oferecidos normalmente, através dos meios de comunicação elencados – telefones e e-mails.

Até esta data, a recomendação é que o servidor utilize APENAS esses canais para obter informações e tirar dúvidas – pois o Instituto de Previdência estará fechado para o público e não terá atendimento presencial neste período.

 QUARENTENAS E RISCOS DE CONTÁGIO

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Coronavírus (COVID-19) tornou-se uma pandemia mundial, isto é, uma epidemia surgida na China, que ganhou proporções globais, deixando o mundo todo em estado de alerta.

Nas últimas semanas, um fato chamou bastante a atenção – o movimento que profissionais de saúde, em todo o mundo, fizeram com o anúncio “Nós estamos aqui por você. Fique em casa por nós!”

No Brasil, esse apelo partiu inicialmente da médica infectologista Carla Guerra, que acompanhou o primeiro paciente, de 62 anos de idade, morto por coronavírus - caso confirmado.

Por não ter histórico de viagem recente ao exterior e nem ter tido contato com paciente infectado, esse caso é considerado ‘transmissão comunitária’.

"A única forma de se prevenir dessa epidemia é que todo mundo fique em casa. É importante permanecer em casa, sem nenhum encontro social. Peçam para as empresas fazerem home office. Poupem os idosos de exposições",  disse a médica, em entrevista ao site G1.

Dentre as principais orientações a serem seguidas, independente do país em que se viva, evitar aglomerações, seguir hábitos de higiene mais frequentes e acentuados, a fim de evitar a propagação do vírus e manter o devido distanciamento social de cerca de dois metros de distância entre as pessoas são as mais importantes.

No tocante a higienização, para evitar a propagação do vírus, Carla Guerra orientou a lavar as mãos com frequência, usar álcool em gel e evitar aglomerações.

"É preciso reforçar as medidas de proteção pessoal neste momento. Se todo mundo ficar doente ao mesmo tempo, não teremos serviço de saúde para atender à demanda", concluiu a infectologista ao G1.